Escolha uma Página

Entenda a ação e importância de se usar sempre esse produto!  

 

O sol é um “companheiro” muito comum para a maioria dos brasileiros já que vivemos em um país tropical. Essa exposição em doses moderadas pode trazer benefícios para a saúde como a produção de Vitamina, melhora da qualidade do sono e defesa do organismo.   

  

No entanto, em excesso, o desconforto, a sudorese constante, e o maior risco de desidratação não são os únicos problemas que são aumentados pelo clima quente. Os danos que o sol pode causar a pele também nos exige uma série de cuidados especiais, como por exemplo, o uso constante do protetor solar.  

  

Nesse artigo, você irá entender a ação desse importante produto e porque você deve tê-lo sempre ao seu lado. Confira!  

  

Como a exposição ao sol danifica a pele  

  

A maioria dos danos que podemos ter nesse quesito são causados por dois tipos de raios:   

  

  1. O UVA: que estão presentes durante todo o dia e são “sorrateiros”, pois conseguem atravessar as nuvens e os vidros das janelas. Quando entram em contato com a pele, eles geram um bronzeado curto nas camadas superiores, porém ao agirem fundo na derme com a exposição prolongada, podem causar lesões de longo prazo que envolvem o envelhecimento precoce, o dano retiniano e ocular, a imunossupressão, a intolerância ou alergia solar, entre outros.

  

  1. O UVB: esses são raios mais fortes que apresentam variações de intensidade no dia a dia (como um aumento nos “horários de pico”). Nas camadas superiores, eles podem gerar um bronzeado mais prolongado além de um espessamento da epiderme, mas se a exposição for prolongada, pode também causar queimaduras e danos a esse tecido. Em um nível mais profundo, eles são capazes de gerar mais alterações ao DNA do que os raios UVA, sendo assim, os maiores responsáveis pelo câncer de pele.  

  

Além disso, ambos os tipos também podem estimular a formação de radicais livres que são responsáveis pela oxidação acelerada das células do organismo.   

  

Por isso, a melhor forma de agir contra esses danos é a prevenção feita através da proteção constante a esses raios.   

  ♦♦♦

Como o protetor solar age em nossa defesa  

  

As empresas de cosméticos devem classificar a capacidade de proteção dos produtos que fabricam em números de FPS.  

  

Essa medida, indica qual a capacidade dessa loção de multiplicar (em minutos) a proteção natural da nossa pele.   

  

Considere, por exemplo, que uma pele moderadamente clara, tem uma proteção natural de 25 a 30 minutos à uma exposição solar baixa.   

  

Um produto com FPS de 20 poderia então, aumentar essa capacidade protetora em aproximadamente vinte vezes, mas essa não é uma “ciência exata” já que a intensidade do sol pode variar durante o dia, diminuindo esse prazo. Essa proteção pode ser reduzida mediante a alguns fatores, como pessoas que transpiram de maneira excessiva, ou entraram em contato com água.    

  

Então é melhor, ter uma margem de “excesso” não acha? Rsrsrs…  

  

Agora se você deseja saber a ação exata do produto que você tem em casa isso vai depender da formulação feita pela empresa responsável, mas existem dois principais tipos no mercado:  

  

  1. Os de proteção física: que possuem propriedades refletoras em sua composição e emite parte dos raios que recebe de volta.  

  

  1. Os de ação química: que entram em moléculas na pele, e que ao serem atingidas pelos raios solares, transformam parte dessa energia em um estado de “excitação” temporária, deixando pouca carga solar para ser passada para os tecidos.  

  

Além disso, o protetor possui outros benefícios que são, em sua maioria, comprovados, como a prevenção de manchas, do câncer da pele, e do envelhecimento precoce, além de ajudar também na hidratação da derme.  

  

Muita coisa, não é mesmo? Por isso esse produto é um parceiro indispensável para todos os tipos de pele. Mas se você quer saber como realizar bem essa proteção, confira minhas dicas no próximo tópico. 

  

E se desejar mais sobre esse possível “envelhecimento acelerado” da pele, clique aqui para ver o artigo que fiz sobre o assunto!  

  ♦♦♦

Como faço para me proteger bem  

  

Vale também dizer que você pode aliar o uso do protetor com outras “boas práticas” para receber ainda menos danos solares como:  

  

  • Procurar lugares com sombras sempre que possível;  

  

  • Usar protetor solar, mesmo trabalhando em área interna, pois nessas áreas você ainda recebe 10 a 20% de raios solares.  

  

  • Evitar, de preferência, os horários entre 10 a 14 horas, onde há cerca de 60% da incidência do sol.  

  

Agora, se você aliar essas dicas com a escolha de um protetor solar adequado ao seu organismo você irá redobrar a “força” da sua pele!  

  

Para isso, é importante considerar que:  

  

  • Crianças e pessoas de pele clara possuem uma proteção natural menor, devido a sua espessura mais fina da pele e sua menor quantidade de melanina. Por isso, tenha cuidado frequente e redobrado.  

  

  • Protetores sem cor protegem apenas contra a radiação solar, enquanto os que possuem coloração protegem também contra a luz visível.

  

  • É aconselhado que o FPS seja sempre de, no mínimo, 30.  

  

  • Pessoas com pele oleosa devem usar produtos “Oil Free” ou com efeito matificante, enquanto os que possuem pele seca podem optar pelo cremoso.   

  

  • Peles reativas ou sensíveis podem se beneficiar mais do protetor com formulação física.  

  

Para que se saiba exatamente quais as características do seu organismo e quais cuidados ele precisa é aconselhado procurar um dermatologista de confiança.  

  

Assim, você pode conviver de forma mais harmoniosa com o calor do nosso país tropical e ter uma pele de arrasar!  

  

Tem dúvidas sobre esse ou outro tópico? Entre em contato! Será um prazer te ajudar como puder!  

 

 

  

Open chat