Escolha uma Página

O que considerar na procura pelo profissional certo para você

Como dizia a célebre música do cantor e compositor Cazuza: “O tempo não para”.  

 

E, infelizmente, essa força da vida também traz com ela, efeitos inevitáveis do envelhecimento facial. A partir dos 35 anos de idade, já se tornam mais evidentes os “sinais” de desgaste sobre nossa gordura facial, pele, ossos e músculos. E eles podem ser potencializados pelos nossos hábitos (como o tabagismo).    

 

Quando esses “sinais” surgem, normalmente são arugas, papadas, flacidez, linhas de expressão ou perda de contorno facial.  Ao se notar isso, é comum buscar o auxílio do dermatologista. No entanto, essa procura pode se tornar desafiadora para as pessoas que não sabem como escolher um dermatologista.  

 

Então, para ajudar você a encontrar o profissional certo, que pode te ajudar a “rejuvenescer” o seu rosto, eu preparei esse artigo com informações e dicas valiosas! Confira!  

♦♦♦

Por que devo escolher bem?  

 

Se engana quem acredita que procurar um dermatologista é como escolher um serviço de qualquer outro mercado.   

 

Como em diversas áreas médicas, as possíveis complicações de procedimentos e produtos, exigem que esse profissional tenha um grau elevado de estudo e preparação para que o processo ocorra da melhor forma possível.  

 

Infelizmente, isso nem sempre é o caso.  

 

No ano de 2018, por exemplo, o Tribunal de Justiça de Minas Gerais (TJMG) instaurou quase 20 processos sobre o campo de procedimentos estéticos, somente no primeiro semestre daquele ano. No entanto, como os próprios dados do tribunal apontam, essa situação se deve em grande parte à:  

 

  • Profissionais não qualificados que atuam de forma ilegal e despreparada: esses “profissionais”, iludem seus clientes ao afirmarem que possuem qualificações ou registros 

 

  • Clinicas clandestinas: espaços de atendimento que não obedecem às normas ou não tem licença de funcionamento expedida pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa);  

 

  • Desejo de obter resultados irreais a qualquer custo: esse fator, aliado a médicos que não prezam por resultados naturais, pode ter consequências desastrosas;   

 

  • Desinformação: a falta da devida orientação prévia ou após à realização de procedimentos ou uso de produtos.  

 

 

Como resultado desses fatores, podem ocorrer erros de dosagem, infecções e sequelas que afetam a autoestima e confiança desses pacientes. Além disso, gosto de complementar que ao escolher um profissional de confiança, todo o processo se torna mais tranquilo e até divertido.  

 

Os pacientes conversam abertamente com seus dermatologistas, alinham suas expectativas, retiram suas dúvidas e medos e são tomados por uma “boa ansiedade”.  

 

Então, você já está entendendo a importância dessa “procura“, mas agora deve estar se perguntando “O que devo considerar nesse processo?”, para responder essa dúvida, confira minhas dicas no próximo tópico.  

 

♦♦♦

Como escolher um dermatologista para rejuvenescer meu rosto?  

 

Antes de tudo, aqui vai um recadinho meu: não se deixe desanimar por essas “maçãs podres” no campo da dermatologia e estética. Em meus muitos anos de prática, vi em primeira mão, a capacidade que certos cuidados possuem de melhorar a autoestima.  

 

Então, aqui vão aqui algumas dicas que podem te ajudar nessa “busca por se sentir bem”:  

 

  1. Procure os registros CRM

 

Normalmente, os Conselhos Regionais de Medicina de cada estado disponibilizam em seus sites todas as informações do registro CRM e Registro de Qualificação de Especialista (QRE) desses médicos. Se não encontrar o CRM desse dermatologista por meio desses órgãos, entre em contato com eles para esclarecer dúvidas.  

 

Meu CRM e QRE sempre ficam expostos em todos os meus canais de comunicação para tranquilizar meus possíveis pacientes. Eles são, respectivamente, CRM-GO 7098 e RQE 3112.  

 

  1. Faça uma pesquisa digital 

 

Procure pelo nome completo (ou nome profissional) desse médico que está sondando no Google. Veja se não há notícias de casos ou processos e confira se há pontos positivos em sua reputação. 

 

  

  1. Confira se o espaço de atendimento desse profissional obedece às normas devidas  

 

Os dados sobre esses locais podem ser conseguidos por meio dos canais da Anvisa, ou com a Associações dos Hospitais de cada estado.

 

Eu, por exemplo, atendo no Instituto Vivre que tem a mais alta qualificação da associação de Goiás. Com equipamentos de última geração, equipe capacitada e estrutura diferenciada.  

 

Se desejar saber mais sobre esse espaço, clique aqui. 

 

  1. Dê atenção à primeira consulta 

 

Esse primeiro contato é muito importante para que você tente se “alinhar” com o seu dermatologista. Sua saúde está sempre em foco? Ele preza por resultados naturais? O atendimento dele te tranquiliza? Busque a resposta para essas e outras dúvidas que considerar importante.   

 

  1. Procure profissionais com vasta experiência com os procedimentos para o rosto

 

Sou formada a 25 anos e sei o quanto os anos iniciais requerem atenção redobrada dos dermatologistas. A vivência prática ou preparação desses médicos pode fazer muita diferença no resultado final, ou pode também, dar uma “paz de espírito” maior aos pacientes.   

 

  1. Tenha paciência 

 

Nada de ir “firmando compromissos” logo com a primeira indicação sem receber. Mesmo que boas avaliações sejam pontos positivos para esse profissional. Ainda é aconselhado que você tire o tempo necessário para avaliá-lo com calma. O que foi bom para a “fulana” pode não ser o melhor para você, então seja paciente.  

 

E então, gostou das dicas? Está pronta para escolher o seu “parceiro dermatologista”?  

 

Se houver dúvidas sobre esse ou outro tópico, sinta-se livre para entrar em contato. Será um prazer te ajudar! 

Open chat